Sua fonte oficial de notícias do My Chemical Romance no Brasil reconhecida pela Warner Music BR. Nos acompanhe nas redes sociais e fique ligado nas novidades da banda.

My Chemical Romance recebe apoio financeiro do governo americano para manter sua equipe de turnê

Noticias

A banda afirma que quer apoiar a equipe a passar por esse momento de pandemia após o adiamento da turnê de 2020

Texto por Ariane Santana

Hoje (09), a revista Rolling Stone publicou uma matéria sobre os empréstimos recebidos por diversas bandas e artistas norte-americanos que tiveram suas turnês interrompidas por conta da pandemia do novo coronavírus. De acordo com o artigo, “algumas das maiores figuras da música – incluíndo Eagles, Pearl Jam, My Chemical Romance, Guns N’ Roses e Green Day – receberam fundos federais para apoiar sua equipe para quaisquer turnês presentes e futuras que forem adiadas.

Os empréstimos são parte do PPP, o Programa de Proteção ao Salário (Paycheck Protection Program), criado pela Associação de Pequenas Empresas (SBA) dos Estados Unidos. Consiste em empréstimos que variam desde $107,000 até $10 milhões, com o intuito de apoiar pequenas empresas que tiveram a renda afetada pela pandemia como bares, restaurantes e equipes de turnê. Apesar da tentativa do governo estadunidense de manter os dados confidenciais, a SBA foi forçada a expor os detalhes dos 660,000 elegíveis que receberam mais de $150,000; dentre eles está a banda My Chemical Romance. 

O MCR explicou à Rolling Stone que o valor será utilizado para manter a equipe que os acompanharia na turnê mundial de 2020. “Como a maioria das turnês que estariam acontecendo esse ano, a turnê mundial do My Chemical Romance foi cancelada,” contou a banda. “O MCR recebeu o dinheiro do PPP para ter certeza de que a equipe possui fundos nesses tempos de incerteza até podermos pegar a estrada novamente. Nós somos muito gratos por essas pessoas dedicadas e hábeis – alguns são pais, alguns precisam cuidar de outros, e outros simplesmente precisam pagar o aluguel – e esse dinheiro ajuda essas pessoas a manterem a si mesmas e suas famílias.

O PPP não passou sem críticas. De acordo com o New York Times, diversas empresas praticaram demissões em massa mesmo após receber o empréstimo, além disso, firmas de investimento milionárias também foram consideradas elegíveis e receberam altos valores do PPP. Muitos beneficiários da lista entregue pela SBA afirmam que não se candidataram para receber o dinheiro, apontando inconsistências tanto por parte das empresas quanto por parte da SBA. A Rolling Stone enfatizou também o fato de que o PPP, apesar de ser uma saída para bandas que possuem grandes equipes de turnê, não socorre a música ao vivo como um todo.

No Brasil, os pequenos artistas têm passado por dificuldades financeiras. Aqueles que não possuem patrocinadores para suas lives estão se mantendo com freelas e empregos temporários ou contando com o apoio de organizações em prol da cultura, eventos beneficentes online, etc. Outros se inscrevem em editais de cultura, mas não é o ideal, em entrevista à Agência Brasil, a artista Bruna Luiza afirmou que os editais alimentam a rivalidade entre a classe artística: “Eles lançam edital, no meio dessa pandemia, em que colocam em competição os artistas, que já estão em um estado de vulnerabilidade muito grande”.

No dia 30 de junho, foi sancionada a Lei Aldir Blanc, que dispõe auxílio financeiro para a cultura durante a pandemia, totalizando 3 bilhões de reais a serem repassados entre todos os estados, municípios e o Distrito Federal. O auxílio será feito em três parcelas de R$600, similar ao modelo de auxílio emergencial para trabalhadores informais e desempregados. Espaços culturais também são elegíveis a subsídio de acordo com a lei: estes receberão entre R$3 mil e R$10 mil. Por fim, a lei prevê também linhas de crédito especiais para a classe.

Até agora os recursos não foram liberados. Inicialmente a lei previa que o valor deveria ser repassado em até 15 dias após a sanção da lei, mas após veto presidencial não há prazo para o repasse; alguns agentes políticos lutam para que o repasse não demore mais de 30 dias, vista a urgência nesse momento de pandemia.

Segundo o site do Senado, para ser elegível o trabalhador deve:

  • Comprovar atuação no setor cultural nos últimos 2 anos;
  • Cumprir critérios de renda familiar máxima;
  • Não ter emprego formal;
  • Não receber o auxílio emergencial ou outras formas de benefício previdenciário ou assistencial (exceto Bolsa Família).

O auxílio também está restrito a duas pessoas da mesma família. Mães solteiras têm direito a duas cotas.

Tanto o auxílio emergencial quanto o auxílio da Lei Aldir Blanc repassam valores que não condizem com a economia brasileira, pois representa menos da metade de um salário mínimo. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o salário mínimo necessário para se viver no Brasil com uma família de 4 pessoas seria de R$ 4.366,51 em fevereiro de 2020. O auxílio oferecido pelo governo não representa nem 10% do salário mínimo necessário, o que força os artistas a continuarem buscando trabalhos informais, editais de cultura e afins.

O que acham do empréstimo que o My Chem requisitou? Acreditam que foi o caminho certo? Conta pra gente nos comentários suas opiniões.

Beijinhos da raposa!

Deixe uma resposta

Continue lendo

Menu
%d blogueiros gostam disto: